O Projeto Tamar está divulgado o balanço da temporada reprodutiva 2015/2016 em Fernando de Noronha.  Os pesquisadores registram de dezembro a junho 172 ocorrências reprodutivas  (toda tentativa bem ou mal sucedida de desova na praia) da espécie Chelonia mydas (tartaruga-verde). Deste total, 101 ninhos foram localizados nas praias do Leão (71), Sancho (13), Americano (07), Bode (07) e Quixabinha (03).  O Tamar contabilizou 6.413 filhotes liberados ao mar.

Nesta  temporada o tempo de incubação (período entre a postura e nascimento do ninho) foi  em média 53 dias.  Segundo os pesquisadores  houve uma redução no número de ninhos em comparação a temporada 2014/2015 (267 desovas e 15.307 filhotes liberados ao mar). “Essa grande variaçãoentre temporadas é normal para a espécie já que as fêmeas têm ciclos reprodutivos com intervalo de até três anos.  Apesar da diminuição na quantidade de ninhos na temporada, a média de ninhos na última década é quase cinco vezes e maior que o registrado na década de 1980, reflexo do aumento do número de tartarugas reprodutivamente ativas em Fernando de Noronha”, explicou o pesquisador do Tamar, Felipe Bortolon .

As tartarugas-verde são classificadas como “em perigo de extinção” no Brasil,  animais de vida longa (até 100 anos), maturidade sexual tardia (30 anos) e extremamente migratórias. Essas características tornam o trabalho de recuperação das populações ainda mais difícil, exigindo o envolvimento de diversas nações em que as tartarugas são compartilhadas. Para o Projeto Tamar uma das formas de  trabalhar a proteção das tartarugas marinhas é colocar as pessoas  em contato com as atividades de pesquisa. Na temporadareprodutiva 2015/2016 foram realizadas onze solturas de filhotes com a participação total de 2.100 pessoas, incluindo alunos e professores da Escola Arquipélago e Centro Integrado Bem-Me.Quer , além de pescadores e condutores de visitantes e turistas.

Fonte