A historiadora de Fernando de Noronha, Grazielle Rodrigues,  participou do pando II Encontro de História e Guerra Fria do Sertão, na Universidade Estadual do Ceará. A pesquisadora, que  estuda a ocupação dos americanos , esteve na a conferência intitulada “ Fenando de Noronha na Rota dos Teleguiados” nesta sexta-feira (5).  Parte do tema exposto faz parte da tese de doutorado desenvolvida na Universidade de Coimbra, em Portugal, e é continuação de pesquisa realizada para o mestrado em 2009. Dentro dos temas está a tecnologia utilizada pelo americano, em 1958, para monitorar os teleguiados saídos do Cabo Canaveral, Florida, dando salto significativo para o desenvolvimento científico da humanidade de agora.

"Boa parte de tudo o que utilizamos hoje em dia, origina-se deste tempo de Guerra Fria. A velocidade e descobertas tecnológicas da década de 1950, facilitou a vida moderna de tal forma que uma simples maquina de lavar era o sonho de consumo de muitas mulheres daquele tempo", destacou Grazielle. Mas esse desenvolvimento não estava voltado apenas para as facilidades domésticas do homem pacato. Estava sendo acentuado e materializado a forma de defender o Atlântico Sul da ameaça comunista e para isso Fernando de Noronha era tomada como o 11o lugar de segurança, com a instalação do Posto de Observação de Teleguiados pelo governo americano.

Todas essas informações podem ser encontradas no livro Fernando de Noronha e os Ventos da Guerra Fria, de autoria de Grazielle Rodrigues.

 

Fonte