Carol Barcellos na lente da Nave (Foto: Ana Clara Marinho/TV Globo)

Ela concluiu a maratona de 250 quilômetros no deserto do Atacama, mergulhou em cavernas estreitas e escuras na China e registrou um terremoto no Nepal. Carol Barcellos tem mostrado determinação e coragem nas aventuras do programa Planeta Extremo, da Rede Globo. Agora, a jornalista  vai ter mais um desafio, a cobertura das Olímpiadas do Rio de Janeiro, que serão os primeiros Jogos Olímpicos da carreira da profissional. A apresentadora vai comandar o Balada Olímpica, ao lado de Flávio Canto, atração com três horas de duração que será veiculada toda noite. Para ganhar fôlego para a mais nova maratona,  nada melhor que uma dose de Fernando de Noronha.

“Esses dias serviram pra pegar fôlego para o mergulho no trabalho que vem pela frente. Eu frequento a ilha há 13 anos, estive aqui 12 vezes. Eu já estive em muitos locais, Noronha é o único lugar do mundo que eu quero voltar todo ano. Não é só a beleza, é muito especial, eu me sinto em casa, as pessoas são carinhosas.  Além disso, também é para mim o lugar mais bonito do planeta. Nenhum lugar se compara a Fernando de Noronha. Eu ainda tenho descobertas, só dessa vez fiz o Planasub (mergulho de reboque criado pelo engenheiro Léo Veras), é uma delícia. Noronha é o lugar que eu sempre peço a Deus que me ajude a voltar todos os anos”, disse Carol.

Para coroar a paixão por Noronha, Barcellos recebeu o convite para conduzir a Tocha Olímpica na ilha, no próximo dia 5 de junho. “O Comitê Olímpico Internacional fez o convite e a minha primeira reação foi saber se , por acaso,  eu estaria tirando a vaga de uma pessoa da ilha, o que eu não gostaria. Quando me informaram que eu seria uma convidada em uma vaga extra,   topei na hora. Eles ainda me deram outras duas opções,  Chapada Diamantina e Barreirinhas, mas não tive dúvidas. Conduzir a Tocha das Olímpiadas em Fernando de Noronha será um momento que vou lembrar o resto da minha vida, por isso vou trazer a minha filha Júlia, que tem quatro anos”, falou a jornalista.

Para  entrar no clima do revezamento Carol Barcellos correu na ilha com o atleta da terceira idade, Renê Jerônimo, que tem 75 anos e também vai conduzir a tocha. “A energia de Seu Renê é demais, corre feliz, ele é forte, o ritmo foi puxado, adorei”, contou. 

 

Terça-feira, 24/05/2016, às 11:47, por Ana Clara Marinho.

Mais infirmações: Clique aqui.