Com este prefixo foram feitos contados de Noronha para os cinco continentes.

Parece uma ironia, apesar dos muitos problemas que os moradores e turistas enfrentam na telefonia e de acesso à internet, Fernando de Noronha está no epicentro do mundo para as comunicações em alta frequência. A posição geográfica é privilegiada, a ilha está a três graus da linha do Equador, e também está entre a América do Sul e a África, além de proximidade da América do Norte da Europa. “Noronha está no centro geodésico, as condições são favoráveis e nós conseguimos falar por radioamador com todos os cantos do mundo ao mesmo tempo, é um fato raro, aqui é praticamente o epicentro do planeta”, afirmou  o radioamador Jânio Souza Godoi, militar da Aeronáutica reserva.

Jânio Godoi, que mora em Minas Gerais,  veio  à ilha e passou dez dias dedicados a comunicação. Nesta temporada  fez mais de dois mil contatos com os cinco continentes. “Eu levaria uns quatro meses para fazer essas comunicações em Belo Horizonte. O objetivo dessa maratona na ilha foi manter contatos para comemorar os 75 anos da Força Aérea Brasileira e aproveitar para divulgar Noronha para o mundo. Eu consegui falar com a Austrália, Japão, China, Finlândia,  Islândia, México, Estados Unidos e até com estações científicas da Antártida, entre outros. Fernando de Noronha é um país a parte no radioamadorismo”,  contou Jânio.

A passagem do militar aposentado pela ilha teve o apoio do comando do Destacamento da Aeronáutica local. “O radioamadorismo é de ampla utilidade, principalmente em locais de difícil acesso. A visita do Jânio tem nosso apoio, grande parte dos conhecimentos,  ele aprendeu dentro da Força Aérea.  A visita ajuda a ciência,  rompe fronteiras, estreia os laços, aproxima culturas diferentes e isso nunca pode ser ruim. Aqui em Fernando de Noronha a gente sempre vai ajudar essas atividades que engradecem a gente”, avaliou tenente Márcio Vieira, comandante do Destacamento da Aeronáutica.

Internet

Para Jânio Godoi que tem 35 anos de experiência como radioamador,  a comunicação na ilha é clara, mas ele lamenta as dificuldades encontradas na  internet. “Muitas pessoas de vários países me pediram informações de Noronha. É um pecado os problemas  de acesso internet. Isso prejudica porque todos os dados das comunicações são registrados num log eletrônico e este arquivo  deve ser colocado na grande rede para conhecimento do mundo todo, é um contrassenso esta dificuldade. Eu faço votos que o Governo consiga resolver o problema. Falar com o mundo de Fernando de   a sensação única ,  quero voltar muitas vezes”, finalizou o radioamador.

 

 

Segunda-feira, 23/05/2016, às 11:09, por Ana Clara Marinho

Fonte: Clique aqui