O Projeto Tartarugas Marinhas (Tamar) está comemorando o recorde no número de ninhos em Fernando de Noronha. Nesta temporada já foram registrados 420 ninhos, o que deve totalizar o nascimento de cerca de 20 mil filhotes. Esta é a melhor temporada de reprodução desde a criação do Tamar, até agora o recorde havia sido atingido em 2014, quando foram contabilizados 267 ninhos, com o nascimento de pouco mais da metade de tartaruguinhas. 

“O crescimento no número de nascimento tem acontecido por conta do esforço de conservação e proteção das tartarugas no Brasil há mais de 30 anos. Em outros países este trabalho é feito a mais tempo. As tartarugas dependem de um esforço conjunto para completar o ciclo de vida. Nós fazemos nosso papel dentro de casa, com apoio das comunidades e educação ambiental para proteger a espécie”, disse o biólogo do Tamar,  Felipe Bortolon.

O período de reprodução começa em dezembro e termina em junho, os pesquisadores acreditam que o número de ninhos em Noronha ainda pode crescer e chegar aos 435 ninhos. No primeiro ano de monitoramento das tartarugas do Projeto Tamar na ilha, em 1984, foram registrados nove ninhos. A Praia do Leão é a preferida pelas fêmeas para desovar, o local conta com mais de 200 ninhos. As tartarugas verdes (Chelonia mydas) também desovaram no Sancho, Cacimba do Padre, Quixaba, Bode, Americano, Boldró, Conceição, entre outras. 

 “O apoio do Instituo Chico Mendes da Biodiversidade é muito importante porque protege as áreas utilizadas pelas tartarugas para completar o ciclo de vida, como o trabalho que é feito em Fernando de Noronha. Apesar do recorde, Noronha tem a menor população de tartarugas verdes reproduzindo entre as ilhas oceânicas brasileiras. Isso significa que ainda existe possibilidade de crescer mais”, finalizou Felipe Bortolon.

Fonte: http://g1.globo.com/pernambuco/blog/viver-noronha/post/projeto-tamar-registra-recorde-no-nascimento-de-tartarugas-em-fernando-de-noronha.html