A Praia da Caieira sempre foi procurada pelos moradores de Fernando de Noronha para o lazer. Poucos turistas conheciam o local, que conta com piscinas naturais e um rico ecossistema. A Caieira faz parte do Parque Nacional Marinho e com o crescimento no número de visitantes na ilha ( no ano passado Noronha recebeu  cerca de 90 mil pessoas), o Instituto Chico Mendes da Biodiversidade ditou regas para banho nas piscinas. Só os turistas que percorrem a chamada trilha longa de acesso à Atalaia, acompanhados por um guia credenciado, podem tomar banho na região.

A regra não agrada aos moradores, que teriam que contratar um guia para ir a um local que já frequentavam. “Eu nasci nesta ilha praticamente, frequento essa praia desde que estava na barriga da minha mãe, é um local que eu amo. Eu iria passar meia hora e voltaria me sentido plena, porque aquele é um lugar especial pra mim. Eu sei o que pode fazer na área porque sou moradora e tenho consciência, mas eu fui barrada por um fiscal do ICMBio, eu acho isso um absurdo”, relatou a estudante Nina Veras.

“A gente tem que entender os parâmetros ambientais dessa proibição. Aquele é um local que sempre foi mais frequentado pelos moradores do que pelos turistas. É um contrassenso a área  ser liberada apenas para as pessoas que fazem a trilha e não os moradores. Se é uma lei deve ser para todos, como pode para um e não pode para o outro ?“, questionou a empresária Catarina Sarinho.

“Eu considero que se dever ordenar, mas a comunidade não pode ser penalizada. Já existe a proibição de pesca na área, é preciso se respeitar a tradicionalidade do morador. Eu vou solicitar ao Conselho Distrital que questione esta regra ao Instituto Chico Mendes. O Conselho é o órgão que representa a população e não foi informado desta norma de visitação”, falou o conselheiro distrital, Ailton Júnior.

A direção do Chico Mendes pode reavaliar as regras de acesso. “Nós vamos verificar, desde que eu cheguei a Fernando de Noronha já tenho recebido questionamentos. Tinham condutores cobrando para fazer o acesso para essa praia, o que não é o caso. É preciso percorrer toda trilha longa para ter acesso a essas piscinas. O argumento dos moradores é muito plausível, vamos avaliar este tema com muito carinho junto a nossa coordenação de uso público e a EcoNoronha”, afirmou o chefe do ICMBio em Noronha, Felipe Mendonça.